Uma boa conversa !


- Mãe, por que garotas comem chocolate quando estão magoadas ou quando um garoto parte seu coração?

- Por que o chocolate é doce e as fazem esquecer de como é amargo quando alguém as magoam.
 - E por que os garotos bebem quando se separam de uma garota?
- Por que a bebida é amarga e os fazem esquecer o quão doce as garotas são.

Sem palavras !

- O álcool é um veneno, Jake.
 - Tio Charlie, então por que você bebe?
- Porque tem certas coisas dentro de mim que eu preciso matar.

 

Eles tinham terminado.


(Alguns minutos depois da conversa)
Eu:Quando você chegar em casa me liga pra eu saber se chegou bem ok ?

Ele:Tá bem.
(Alguns dias depois)
Eu: Porque você não me ligou?
Ele: Por que eu não cheguei bem.

.

Vivo com essa sensação de abandono, de falta, de pouco, de metade, mas nada disso é novidade. Antes dele, teve o outro. O outro que continua indo embora para sempre porque nunca foi embora pra sempre. Eu não sei deixar ninguém partir, eu não sei escolher, excluir, deletar. São as pessoas que resolvem me deixar. Melhor assim, adoro não ser responsável por absolutamente nada. Odeio o peso que uma despedida eterna causa em mim. Nada é eterno. Não quero brincar de Deus.

Eu lamento !

Mulheres Frutas. Rebolation. Adolescentes de dezesseis anos que ganham um programa na MTv porque estão grávidas. Garotas que querem ser anoréxicas.Funk. Corrupção. Colírios. Posers. Drogas. Abortos. Padres pedófilos. Pedófilos em geral. Seres humanos que não querem fazer faculdade. Garotas de treze anos que se vestem como vagabundas. Bandas de forró. Os Nardoni. O Goleiro Bruno. Suzane von Richthofen. Pessoas que acham que seu caráter é medido pelo número de followers que elas têm no Twitter. Pessoas que julgam. Pessoas que não têm respeito pelas outras. Pessoas que maltratam crianças. Pessoas que maltratam animais. Pessoas racistas. Pessoas homofóbicas. Campos de concentração. Ditadura Militar. Holocausto. Apartheid. Adultério. Divórcio. Gente idiota. Pessoas que cortam os pulsos. Padrões da sociedade que fazem garotas lindas de 14 anos se tornarem bulímicas no intuito de serem magras. Gente que fala mal de pessoas que nem conhece. Garotos escrotos que dão em cima de tudo que se move. Pessoas que ficam falando sobre sexo o tempo todo. Pessoas que puxam briga por qualquer assunto. Pessoas que mentem para aparecer. Fofocas. Pessoas que dizem “Ler pra quê?”. Pessoas que querem te obrigar a estar de bem com a vida o tempo todo. Pessoas que não dão a mínima por tudo que você faz por elas. Pessoas que não acreditam em Deus. Eu lamento pela humanidade por ter criado e perpetuado tudo isso.

meio á meio

Fazem meses que não te vejo, que não falo com você; não sei se você está bem, se está estudando, se está gostando de outro alguém ou se às vezes ainda sonha comigo. Nada mais sei sobre você, além do que sobrou. Recentemente vi umas fotos suas, o corte de cabelo ainda era o mesmo, o físico, o estilo de roupas. Mas tinha algo diferente, eu sei que tinha, porém, como eu poderia explicar? Era algo no seu olhar castanho escuro, como se faltasse algo por dentro de você. Era o formato dos traços do seu sorriso, como se tivesse perdido um pedaço de você...

... Então lembrei, talvez o que faltava, era o pedaço de você que eu levei comigo, e não consegui te devolver.

O tempo passou,

eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele. Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher que eu acabei me tornando mulher demais para ele. Ele quem mesmo?

 

Do verbo apagar ..

Apaguei seu cheiro, voz, sabor, sua cor, dos meus sentidos. Apaguei seu nome dos meus cadernos, do meu telhado, das paredes pichadas, da casa inteira, das ruas em movimento. Apaguei seu rosto, seu brilho da minha mente. Apaguei seu toque da minha pele, dos meus fios de cabelo. Apaguei seu nome da minha lista de sonhos, de risadas preferidas. Apaguei seu nome escrito com giz de cera no céu. Apaguei seu nome escrito no jardim com tulipas. Apaguei nossos acordes que estavam por aí, as dedicatórias em livros de amor.

Depois... Fui comprar mais 'borrachas', para apagar você do meu coração.


 

Tempos modernos ...

Você deve estar achando que eu estou falando da novela das 7:00, mas, enganou-se totalmente, estou falado de uma geração que não pára de inovar na modernidade investindo toda sua capacidade mental em celulares, computadores, carros, brinquedos, eletrodomésticos, enfim... Tudo o que a gente vê no dia-a-dia. Cada vez mais estamos viciados em toda esta modernidade, tendo o celular da moda, computadores legais, produtos de cozinha que fazem tudo sem termos que levantar as nossas bundas das nossas cadeiras, sem termos que nos mover. Estamos criando uma geração de preguiçosos, fazendo com que não consigam mais viver sem o computador ligado a sua disposição, vive a favor do Google, do twitter, do Orkut, do MSN, e de outros meios de contato. Crianças de cinco anos, ou até menos, estão mexendo no computador, entrando em sites de jogos online, agora, imagine essas crianças com 14 anos, vão estar totalmente ligadas à internet, mais do que os adolescentes de agora. E o pior, vão ter sua coluna destruída pela má postura na hora de mexer no computador, mas, quem se importa com isso? Todos nós nos importamos com os recados que temos no Orkut, com todos os amigos virtuais e não virtuais que estão online no MSN, mas sempre tem aquela mãe que grita: Fulano! Senta direito! Mas, depois de 5 minutos, estamos todos tortos, e assim vai, durante pelo menos 300 dias da nossa vida, deixando a sua vida de lado ou não.

A presença da ausencia.

Quem já viveu sabe o que é. Querer um abraço e não poder ter, querer ouvir a pessoa naquele momento e não poder ouvir. Sabe que por mais cheio que esteja o ambiente onde você está , sempre lhe vem a ideia de estar sozinho.
Ausência é fria quando se quer algo quente para se acolher.
Ausência é grossa quando se precisa de algo gentil para ouvir.
Ausência é como um banho gelado num dia de inverno. É como um quarto escuro quando se sente medo .
A presença da ausência chega , invadi , tortura e reprimi.

 

Conto de farsas.

Branca de neve, cinderela, bela adormecida...
Todas com algumas coisinhas em comum:
Princesa reprimida e explorada pela madrasta má, sonhadora e apaixonada que depois de tanto sofrer é salva pelo seu príncipe encantado, sobe em um cavalo branco ou carruagem e vai para seu castelo, onde viverão felizes para sempre.
Então eu pensei. É só isso?
Ela vive metade da vida sendo atormentada por uma bruxa e quando sai ela se casa e se prende em outro castelo?
Nenhuma loucura, nenhum ato de liberdade, não sai com as amigas, não torra o dinheiro da madrasta, nenhuma viagem, nada.
Isso não é o que eu chamo de final feliz. Finais felizes deveriam acontecer de outra forma, sem uma princesa esperando por um príncipe para salva-la, e sim se salvando sozinha. Deveria encontrar o lugar dela no mundo e construir um castelo lá e por fim
Encontrar um príncipe. Porque é dessa forma que as coisas funcionam.
E eu só penso assim hoje, porque quando criança eu quebrei a cara descobrindo que contos de fadas são contos de farsas, que se fossem verdade não seriam contos, e que na realidade de tanto esperar a princesa não viu a vida passar por ela dando tchauzinho.

Masoquista ou platonico ... tanto faz!

Se você me perguntasse tudo sobre a sua vida, qualquer coisa, eu saberia dizer. Quanto a você não sabe ao menos o meu nome.
Eu passo por você todos os dias, mudo a rota, invento história só pra poder ti ver, e você jamais me percebeu. Faço qualquer coisa pra ver você feliz, mas parece que você prefere as que ti fazem ficar triste. Mas tudo bem não vou mais roubar seu tempo, nem o de ninguém. Cansei de ser seu nada enquanto você era meu tudo.
Fantasiei tanto e me esqueci de viver. Não sei se é amor platônico ou masoquista. Só sei que a vida anunciou a última chamada para o vôo da minha liberdade. Eu estou indo embora, pra nunca mais voltar.



 

 

 

Preterito perfeito e incompleto

Nunca gostei de brincar de vivo ou morto quando criança, não é agora que irei gostar.
Definitivamente detesto essas idas e vindas de você. Essas idas e vindas do seu amor.
Fala sério, eu não preciso disso, estou feliz assim, aparentemente.
Estou bem e derrepente não estou mais. São tantas as oscilações que chegam a me sufocar. Você não faz idéia.
Eu não queria que fosse assim, acontece que você faz parte de um passado que não teve fim, um pretérito imperfeito, e por isso meu destino é indeterminado.
Não sei o que você fez ou faz, não reconheço suas armas. Mas sejam lá quais forem eu não consigo mais lutar contra elas.
Você venceu.

 

é como tatuagem.

Não é como dizem por ai, um amor não cura outro amor, não toma simplesmente o lugar do outro, é o tipo da coisa que não pode ser substituído, tipo uma roupa.
Como uma tatuagem, fazer outra por cima não vai apagar a de baixo, só vai escondê-la, não estará visível mais estará ali. Não quero transformar isso em passos para se esquecer um amor, mas uma tatuagem não se tira na primeira sessão, são varias, são fases e etapas. Vai doer, ah se vai...
E quando ela não estiver mais ali você ainda se lembrará de que um dia ela existiu.
Não fique assustado (a) e nem se comprometa a nunca ter uma, um dia todos nós fazemos uma tatuagem, e bem em cima do coração, e isso é inevitavelmente lindo.

Motivo,

Por mais que o tempo tenha passado, quero deixar bem claro aqui:

Que o meu coração não deixou de acelerar em nenhum
Momento em que te encontrou.

Q
ue os meus olhos sempre se perdiam na profundidade
Dos teus.

E que a sua voz me faz travar toda vez em que a ouço.

Não me pergunte o porquê. Pois apesar de saber a resposta eu nunca tive um motivo. De como alguém como você, conseguiu mexer tanto com alguém como eu, que não se permite esse tipo de coisa. Como eu ti disse muito tempo já passou e você ainda permaneceu em mim.
Então por favor, me dê o motivo para ir até você, e não querer sair nunca mais.

A culpa é toda sua !

Você deveria me pedir desculpas, desculpas por não desocupar a minha mente, desculpas por ainda estar nas minhas lembranças, desculpas por me incomodar com o seu perfume, principalmente quando o sinto em alguém que não seja você. Desculpas por ter um lugar na minha cápsula do tempo, na qual eu não deveria mexer, mas não resisto por sua causa, por causa de tudo que lembra nós dois.
Desculpas por eu querer tanto me envolver no seu abraço, por me fazer enlouquecer de todas as maneiras mais estúpidas na qual enlouqueço, por eu me comportar como se tivesse menas idade...
Tenho certeza que a lista é grande, e mais certeza ainda que todas essas desculpas poderiam ser substituídas por uma atitude, uma só eu te garanto.
Mas por enquanto me agarro na certeza de que pertencemos um ao outro, ou de que eu pertenço a você.
E isso ninguém, nem o tempo pode mudar.

AMOR, maldito amor

Desde o dia em que ouvi falar de amor, venho tentando criar teorias sobre ele, entende-lo, ignora-lo, ou fazer acontecer. Mas descobri que por mais que você o conheça, por mais que você o queira você não pode. O amor é algo muito maior que isso, é sublime, auto-suficiente e imprevisível. Ele encontra você, não ao contrário, e quando você se dá conta, já está envolvido em uma espécie de teia de aranha, onde ele te devora e te consome. Você passa a viver em função de outra pessoa.
Acho quem inventou a história sobre cupidos, tinha chego a alguma teoria próxima a essa. Venhamos e convenhamos, aquele anjinho que atira flechas por ai, bem parece com essa história não? Ele nem sempre escolhe pessoas que se corresponderam, nem sempre escolhe pessoas de mesmos lugares, mesmas raças, mesmas classes. A graça pra ele é misturar, é ignorar o fato de que nem sempre queremos isso. Que estamos machucados demais no momento, ocupados demais ou preocupados. Ele simplesmente chega, e ai me desculpe, já era.
O amor nos torna ingênuos, nos torna idiotas, vulneráveis e imprevisíveis. O amor é patético, mas quem nunca quis ser patético um dia, que atire a primeira pedra.

Today he loves her.

Ironia do destino ou preço pago, você não olha mais pra mim.
Acho que isso é o minimo que eu mereci, por tudo que eu fiz com você.
Você me amava, eu sabia, sim sabia, e tirava proveito disso. Mas acredite não era por mal eu apenas gostava da sua compania, da sua voz e do seu abraço, na verdade ainda gosto.
Eu te considerava um amigo mas você não me via assim. Me fingia de desentendida e inocente quando alguem me culpava. A verdade é que eu deveria ter te ignorado, me afastado, te soltado, mas meu egoísmo falou mais alto que isso, e eu ti mantive aqui, deixava que você me ligasse, deixava que você me procurasse, cheguei ao ponto de por inumeras vezes chorar em seus braços a dor que outro alguem me fazia sentir.
Algum tempo passou, e você me esqueceu, conheceu alguem mais interessante. E o que eu não esperava aconteceu, Senti ciume, senti falta de você, e senti mais por saber que você não me amava como antes, ou melhor não me amava mais. Agora você olhava para outra, escrevia para outra, e ouvia músicas pensando em outra. Sei que eu deveria esta feliz por isso, mas não estou. Talvez eu seje mesmo pior do que imagino.

Não desista de mim !

Não desiste de mim. Por trás de tanta indecisão tem alguém que precisa de companhia mesmo fingindo que não.
Tem alguém que odeia todo mundo num segundo e chora de saudades de todos no segundo seguinte. E de você principalmente.

Puro drama.

Se o meu jeito confuso incomoda você, por favor, vá embora, não me obrigue a conviver com sua insatisfação, talvez eu seja assim pra sempre, ou pelo menos não tenho previsão para mudar.

Meu estado de nervoso é lamentável, minha ansiedade, a falta de humor que de vez em quando me domina, minha mania de falar de mais e saber de tudo, minha teimosia e contradições são insuportáveis.

Eu sei bem disso, e não costumo implorar por companhia, principalmente daquelas que me tratam como uma obrigação. Não quero ser isso, não quero ser vista só pelos meus defeitos, para enxergá-los e critica-los já basta a mim. Preciso de alguém que me ame pelo que eu sou, e tampe os olhos ou que finja tampa-los quando me ver fazendo cena.

Quem me conhece sabe que passa, e sabe também que quando entro em crise, realmente entro em crise, e ninguém pode com meu drama. Já fiz de tudo para não ser assim, mas percebi que a tendência é só piorar, portanto vou dizer novamente: Ou fique e se disponha a me aceitar, ou simplesmente vá embora. Se for pode até doer, mas uma hora eu vou saber que já foi tarde.

Não sou drástica só cansei.

Mais uma de amor!

Eu tentei, mas nunca consegui.

Me prendi na mesma temporada do meu seriado favorito que por acaso me lembra você.
Me comprometi a nunca mais ouvir aquela música que costumávamos dizer que era nossa. Tranquei tudo que você me deu em uma caixa, e coloquei no lugar mais inacessível do meu quarto pra que pelo menos a preguiça me impedisse de ir até lá.
Me forcei a fazer cara feia toda vez que escutava seu nome, mesmo que por dentro eu fosse explodir. Gravei e repeti pra mim várias vezes seus defeitos, as frases idiotas que você me dizia, só pra não querer ti ter por perto.
Bom com o tempo eu aprendi como conviver sem você, mas acontece que conviver pra mim nunca foi o suficiente, sempre quis muito mais que isso, sempre quis viver sem a sua sombra, sem os meus sintomas de você.
Conviver não é o que eu queria, porque alias o meu conviver é bem temporário, é só você me olhar, me telefonar e agir como o idiota de sempre, que eu logo me entrego, na verdade acho que a idiota sou eu. Sou tão vulnerável as suas oscilações, você não sabe o quanto.
Vou parar por aqui, antes que eu transforme esse texto em mais um texto romântico, porque é sempre isso que eu faço.
Um dia viverei sem você e quando esse dia chegar eu aviso.

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, Mulher
MSN -

O que é isto?
Visitante número: